segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Ensaio sobre a Cegueira

Depois de assistir ao filme do diretor brasileiro Fernando Meirelles, eis o que senti na saída do cinema:

Sou um pouco cego. Sou um pouco surdo. Sou um pouco burro. Sou um pouco morto.

E só sobrevivo porque entre nós há muito poucas “Julianne Moores”, com o poder de enxergar o que ninguém vê.

Fernando Meirelles é um deles. A leitura que fez do livro de Saramago é tão eficaz que o próprio autor ficou emocionado ao assistir ao filme:



Enfim, recomendo a todos o filme, com a advertência de que você pode sair do cinema enxergando com mais clareza a própria cegueira, o que muitos de nós não gostam nem um pouco de ver.

Um comentário:

vanessa cristina disse...

Todo mundo fala desse filme. Ele é bom mesmo?

Minha professora pediu para que assistissemos.

Twitter Updates

    follow me on Twitter