segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Melhor Morrer que Perder a Vida

Que tortura é essa, de fazer com que o torturado esqueça ou finja esquecer a própria tortura. Quer tortura maior do que ter que renegar o passado, o presente, o futuro? Renegar as vocações, os ideais, as convicções? Abraçar a causa do antigo inimigo, quase alienado, alienante, tentando provar que nunca foi o que foi, o que é? O que fizeram com Geraldo Vandré?

______________________________________________________________________

Estas palavras me vieram à cabeça quando terminei de assistir pela enésima vez a entrevista de Geraldo Vandré à GloboNews. Entrevista esta concedida em 2010. Devo ter visto este VT umas 20 ou 30 vezes pelo menos. Gostaria de ter o prazer de entrevistá-lo também, porque a cada resposta eu fico com alguma pergunta na cabeça que infelizmente não é feita pelo repórter, que, claro, tem que seguir uma pauta da empresa.

Parece que a cada resposta que ouço do Vandré atual, mais questões e enigmas surgem na cabeça. Mais interessado eu fico no Vandré antigo, ou, pra mim, o verdadeiro.

Tento, procuro por mensagens subliminares, por indiretas, por frases soltas e olhares de escape. Procuro mensagens corporais, procuro algo que talvez não exista, mas pra mim existe. Uma história não contada.

Pra quem não viu, to falando dessa entrevista, a única em 30 anos, de Geraldo Vandré:


Na entrevista, ele cita um poema, lindo, de Gonçalves Dias. O poema diz coisas que talvez Vandré não possa, ou não queira falar:


Canção do Tamoio

I

Não chores, meu filho; 
Não chores, que a vida 
É luta renhida: 
Viver é lutar. 
A vida é combate, 
Que os fracos abate, 
Que os fortes, os bravos 
Só pode exaltar. 

II 

Um dia vivemos! 
O homem que é forte 
Não teme da morte; 
Só teme fugir; 
No arco que entesa 
Tem certa uma presa, 
Quer seja tapuia, 
Condor ou tapir. 

III 

O forte, o cobarde 
Seus feitos inveja 
De o ver na peleja 
Garboso e feroz; 
E os tímidos velhos 
Nos graves concelhos, 
Curvadas as frontes, 
Escutam-lhe a voz! 

IV 

Domina, se vive; 
Se morre, descansa 
Dos seus na lembrança, 
Na voz do porvir. 
Não cures da vida! 
Sê bravo, sê forte! 
Não fujas da morte, 
Que a morte há de vir! 



E pois que és meu filho, 
Meus brios reveste; 
Tamoio nasceste, 
Valente serás. 
Sê duro guerreiro, 
Robusto, fragueiro, 
Brasão dos tamoios 
Na guerra e na paz. 

VI 

Teu grito de guerra 
Retumbe aos ouvidos 
Dimigos transidos 
Por vil comoção; 
E tremam douvi-lo 
Pior que o sibilo 
Das setas ligeiras, 
Pior que o trovão. 

VII 

E a mão nessas tabas, 
Querendo calados 
Os filhos criados 
Na lei do terror; 
Teu nome lhes diga, 
Que a gente inimiga 
Talvez não escute 
Sem pranto, sem dor! 

VIII 

Porém se a fortuna, 
Traindo teus passos, 
Te arroja nos laços 
Do inimigo falaz! 
Na última hora 
Teus feitos memora, 
Tranqüilo nos gestos, 
Impávido, audaz. 

IX 

E cai como o tronco 
Do raio tocado, 
Partido, rojado 
Por larga extensão; 
Assim morre o forte! 
No passo da morte 
Triunfa, conquista 
Mais alto brasão. 



As armas ensaia, 
Penetra na vida: 
Pesada ou querida, 
Viver é lutar. 
Se o duro combate 
Os fracos abate, 
Aos fortes, aos bravos, 
Só pode exaltar. 

3 comentários:

Aristeu Kodama disse...

Grande Bello !
Talvez seja decepção de terem rotulado que não queria ser rotulado.
E tambem dececpção com o rumo que as coisas tomaram , tr liberdade de expressão significou infelizmente perder qualidade de expressão !
Que ele traduz como a massificação.
O Militarismo não era e não é um erro e sim o sistema ditatorial !
Hoje alguns dos que se proclamaram martires estão tropeçando por ai em escandalos de corrupção .
Mas uma coisa é bem clara no video , perdeu se uma grande oportunidade de se fazer uma excelente entrevista , né ? Espero que voce tenha a oportunidade de faze la com sua habitual competencia .

saudações

Aristeu Kodama disse...

Acho que a decepção vem de do rotulo de quem não queria ser rotulado !
O sistema era errado e não o militarismo.
Os que se diziam martires não estão envolvidos nos escandalos de corrupção hoje ?
Fato é que se perdeu uma excelente oportunidade para uma grande entrevista . Espero que o amigo possa ter oportunidade de fazer algo bem melhor !

Aristeu Kodama disse...

acho que foi vergonha de que não queria ser rotulado!
Espero que tenha oportunidade de fazer uma entrevista melhor !

Twitter Updates

    follow me on Twitter